segunda-feira, 1 de agosto de 2016

A carta (em resposta para ele) #2


(...)  Como eu mencionei a sua precisão nos detalhes, nada mais justo que eu te fale dos meus detalhes, aqueles que passaram imperceptíveis por ti, (já que estava tão empolgado com uma nova vida), que mal notava a minha presença, embora estivéssemos juntos.
    Ed, lembra quando você falava que eu estava distante, ou reclamava das minhas olheiras, do meu sono excessivo durante o dia?

     Não eram apenas noites mal dormidas, ou excesso de trabalhos, seminários, nada disso. Eram momentos de medo, pois eu notava o seu afastamento e quando você estava ausente, eu me ajoelhava e fazia orações demoradas, pedindo o meu amor de volta, pedindo que aquela pessoa por quem eu me apaixonei voltasse a ser o que era comigo.            Essas orações obviamente não deram resultado algum e me questionava, se eu não havia pedido de forma correta ou se mais uma vez, esperei demais para me conectar com Deus... (continua)






1ª parte https://l-desconhecido.blogspot.com.br/2016/07/a-carta-em-resposta-para-ele-1.html