quinta-feira, 4 de agosto de 2016

A carta (em resposta para ele) #3

   
(...)   Sem respostas, fui obrigada a te ver partir, exatamente no dia em que eu havia adiantado vários trabalhos para ficarmos juntos naquelas poucas horas que restavam (na verdade eu pensava que poderia salvar o que restava da gente), mas você se despediu com um sorriso e eu me perguntei por muito tempo se aquele sorriso tão lindo e alegre era pela nova vida que te esperava, ou pela novidade da minha ausência. Prefiro não saber, pois a resposta atualmente não mudaria os fatos.

   Sabe Ed, eu nunca me importei com as famosas datas de calendário, pois eu sempre preferi a espontaneidade, a surpresa. Mas na minha formatura doeu muito não ver o homem que me fez tão feliz, não estar ali para me aplaudir,  afinal essa conquista também foi sua, por ter me incentivado a continuar. E eu continuei mesmo sabendo que me faltariam palavras para descrever tudo o que eu sentia, isso deve explicar a minha ausência com o passar do tempo... (continua)